quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Destralhar ou o novo sentir da liberdade

A caminhada de perder peso, é muito mais do que simplesmente descer o nº que vemos na balança, caber no vestido que está na montra da Zara, ou simplesmente melhorar o nível da nossa saúde.
Esta caminhada passa muito por uma mudança interior que nos leva muitas vezes por caminhos inesperados.

Uma das mudanças que tenho sentido é a força de vontade que sinto para fazer novas coisas.

Através do blog da Rita Domingues comecei a ler sobre minimalismo. Longe ser, de querer ser, ou achar que tenho tendências para um dia vir a ser, minimalista, o conceito de destralhar começou a martelar a minha cabeça devagar, devagarinho. Já há algum tempo que andava com vontade de destralhar a minha casa. 5 pessoas juntas, das quais 2 têm menos de 3 anos, não é nada fácil. A casa está sempre desarrumada, cheia de coisas. É difícil manter arrumado um espaço que está sempre muito cheio.
A ideia de menos é mais, cada vez me seduz mais. Mas eu estou longe de ser (tal como já disse) minimalista, muito menos na sua vertente mais pura. Por isso estava algo renitente.
Destralhar passa por deitar muita coisa fora. Dar outras. Temos que nos desfazer dos nossos pertences. Principalmente daqueles que simplesmente não usamos! Esta ideia estava sempre na minha mente...... Mas o medo de não conseguir o desapego necessário às vezes bloqueava-me.... Mas a ideia estava lá......
E hoje deu os primeiros frutos ;-)

Entrei no meu quarto decidida!
Deitei um saco com roupa, e outras coisas estragadas para o lixo
Dei dois sacos de roupa (minha) que já não usava.
Coloquei em 2 caixas roupa de bébé para guardar.
Coloquei roupa do marido e minha em 2 malas que levei para o sotão da avó. A do marido é para ele escolher, a minha fica lá até me servir. Dou um ano. Se até lá nada sair dessas malas. Vai tudo para dar!!!!!

O quarto de casal está! Se vocês imaginassem a liberdade que senti ao ver gavetas vazias, prateleiras vazias, espaço na cómoda... é uma sensação maravilhosa!

Outras divisões da casa me aguardam. O importante é não desistir!

Beijinhos, Sweet


2 comentários:

  1. Ainda há pouco tempo destralhei o meu roupeiro. A sensação é de liberdade e de recomeço. Acho que destralhei parte da minha cabeça com isso :) Beijo

    ResponderEliminar
  2. Curiosamente, na semana passada também fiz uma arrumação desse género. No final, tinha dois sacos grandes com roupa em bom estado para dar, mas que eu sabia que já não voltaria a usar por um ou outro motivo. O que mais me impressiona durante a nossa caminhada de perda de peso é precisamente todo o conjunto de mudanças interiores positivas que acontecem para além das alterações a nível físico. São tantas... e tão necessárias! Este tipo de acções e reciclagens quase funcionam como recomeços e sabem muito bem. Gostei do que escreveste e fico muito contente por ti! E em relação ao teu comentário, sem dúvida que juntas seremos mais fortes :) Pouco a pouco, vamos conseguir atingir os nossos objectivos. Força! Um grande beijinho

    ResponderEliminar